A Historia do Motor Cosworth

Todos estamos presenciando um ano difícil para Barrichello, maior culpa é do motor, o Cosworth alem da Williams, abrange as pequenas equipes da formula 1, mas teve um dia que este motor viveu uma historia de gloria.

O ano era 1967, a F1 corria com motores de 3 litros, poucos conseguiam 150bhp por litro, a Ferrari talvez fosse 360 bhp com seu V12, só para comparar o Honda tinha em torno de 390, então tudo que falavam da Ferrari ser o time dos maiores motores, podemos dizer que nem sempre.

A história do V8 Cosworth DFV teve início no GP da Holanda em 4 de Junho, quando este motor da Ford de Keith Duckworth redefiniu todo o estudo e expectativas de desenvolvimentos de motores em um só final de semana, venceu a corrida, sua primeira vitoria, tornou tudo o que havia sobre motores obsoleto em apenas um Grande Prémio.

Nesse período, uma personalidade chamada Ken Tyrrel que não estava muito envolvido com a Formula 1, prontamente foi até Zandvoort especialmente para ver esse motor que havia ganhado os olhos do circo da F1.
Ele teoricamente gostaria de trabalhar com Jack Stewart novamente, como havia feito num passado perto, mas, a Ferrari insistia em ter o Escocês em seus carros vermelhos. Tyrrel queria os motores, precisamente três deles, ao inicio foi negado, com retorno de um telegrama enviado por Ken logo após a apresentação do motor no GP da Holanda, K. Tyrrel então pressionou Walter Hayes, que era executivo de relações publicas da Ford, e este cedeu o pagamento de 20.000 libras para Stewart guiar o carro de Tyrrel equipado com o revolúcionario motor.

O motor era o futuro, a organização da Cosworth e sua ligação com a Ford com modernas técnicas de fabricação acabou representando o fim de uma era de motores na Formula 1, simplesmente esse propulsor produzia 405bhp, era super dimensionado, para Clark parecia dois motores em um, com custo de 7.500 libras, comparando com salário de Jack Stewart citado acima, e potência de motores famosos como Ferrari e Honda.

Segundo Jack Stewart o motor abriria uma nova tempo nas competições automobilísticas, um motor simples, pequeno, ele assemelhava-se a um motor de F2, a nova tecnologia para o futuro dos motores havia sido iniciada, o Cosworth vencia seus opositores, inclusive os motores turbocommprimidos, ao qual as unidades normalmente aspiradas não eram capaz de se igualar.

Este engenhoso propulsor venceu mais corridas que qualquer montadora de motores poderia imaginar, desde sua estreia em 1967 até o triunfo final em 1983 este motor conseguiu 155 vitórias.

Posteriormente a marca foi envolvida no triste mundo da ganancia pelo dinheiro, afastou-se das corridas algumas vezes, e depois de muitas voltas a F1 com diferentes empresas gerênciando, entra nos tempos de hoje empurrando os carros estreantes da F1 de 2010.

Também esta na Lótus em sua tentativa de retorno a f1, ao ser adotado pela tradicional equipe Williams é visto com culpado pelo mau desempenho dos carros de Frank Williams nos GPs deste ano.

A magia dos Cosworth acabou-se com seus grandes homens do passado, e cai em mãos de empresas e grupos sem a menor chance de ressuscitar a gloriosa história deste motor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s